segunda-feira, 29 de maio de 2017

Procissão de Velas na Gafanha da Nazaré

No centenário das Aparições 
de Nossa Senhora aos Pastorinhos 







Realizou-se ontem, 28 de maio, pelas 21 horas, a Procissão de Velas em honra da Nossa Senhora de Fátima, integrada nas celebrações do centenário das aparições de Nossa Senhora aos Pastorinhos, na Cova Iria, em 1917.
O nosso pároco, Padre César Fernandes, não quis deixar passar o mês do Rosário sem que esta Terra Mariana demonstrasse o carinho e devoção que nutre pela Nossa Senhora e, neste mês e ano de centenário das aparições, desafiou toda a comunidade a fazer a sua manifestação pública de fé.
Depois de um início de noite com fortes chuvas, São Pedro deu tréguas para que o andor com Nossa Senhora de Fátima pudesse sair à rua para uma singela e bela manifestação mariana.
A procissão saiu da Igreja Matriz seguindo pelas ruas São Francisco Xavier, Camilo Castelo Branco e Av. José Estêvão onde havia gente da nossa a terra vendo e rezando com devoção. Foi bonito apreciar o respeito manifestado nas ruas, com flores pelo chão, colchas nas janelas, velas junto às casas e silêncio. Enquanto Nossa Senhora passava,  rezava-se o terço, conforme a Mãe de Deus pediu aos Pastorinhos.
Além do muito povo que acompanhou toda a procissão, alguns foram-se integrando à medida que a Senhora de Fátima passava. Marcaram também presença os Padres César e Pedro, a Irmandade, o Agrupamento de Escuteiros, Catequeses e a importante carrinha do Lar com os altifalantes para que todos pudéssemos acompanhar as leituras e rezar do terço até chegarmos novamente à Igreja Matriz, que se encheu para o cântico do Adeus, quando a Nossa Senhora de Fátima estava já colocada no seu lugar de honra.
Foi lindo de ver tanto carinho. 

Chefe Fátima Simões

Agrupamento de Escuteiros 588

Nota. Fotos de Pedro Sacristão

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Informações Paroquiais - 28 de maio a 4 de junho



1 – Domingo, reunião do Apostolado da Oração, às 15:00 Horas, na Biblioteca da Igreja Matriz.

2. – Domingo, a nossa paróquia realiza a Procissão de velas do Centenário das Aparições de Nossa Senhora de Fátima, com início às 21:00 Horas na Igreja Matriz e seguirá pelas ruas: São Francisco Xavier, Camilo Castelo Branco e Avenida José Estêvão, terminando na Igreja Matriz. Cada pessoa deve levar uma vela na Procissão. Convidam-se a Irmandade, a Associação do Sagrado Coração de Jesus, os Catequistas e Catequizandos, os Escuteiros, os Conselhos e todos os crentes em geral. 

3 – Exposição do Santíssimo Sacramento, quinta-feira na Igreja Matriz, com início às 18:00 Horas, bênção e encerramento às 18:45 horas

4 – Reunião de Pais dos catequizandos da Profissão de Fé, quinta-feira, às 21:00 Horas, no Auditório Priores da Gafanha da Nazaré.

5 – Reunião de preparação para os Batismos, sexta-feira, às 21:00 Horas, na Igreja Matriz.

6 – Com vista à preparação da solenidade do Corpo de Deus, haverá uma reunião de Acólitos, sábado, dia 3 de Junho, às 16:00 Horas em Schoenstatt.

7 – As crianças que este ano entram na Escola Primária deverão fazer a sua inscrição para a catequese, no Cartório Paroquial, até ao dia 30 de Junho.

8. – Todos os catequizandos que no próximo ano vão frequentar a catequese, do 2º ao 12º ano, terão de fazer a sua renovação de matrícula, no Cartório Paroquial. A renovação é até dia 30 de Junho e tem um custo de 3,00 Euros.

9. – Visto não haver, este ano, Comissão para organizar a Festa de Nossa Senhora da Nazaré, a Irmandade assumiu esta tarefa de organizar a festa religiosa. Para tal, é necessária a ajuda de todos. Por isso, à saída das Eucaristias do próximo fim-de-semana, elementos da Irmandade, devidamente identificados, estarão a receber as nossas ofertas para fazermos uma festa religiosa digna. Colaboremos dentro das nossas possibilidades.

10 – As pessoas interessadas em levar ou enfeitar os andores na Procissão de Nossa Senhora da Nazaré podem dar o nome no Cartório Paroquial.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

A EMRC, fonte de esperança e humanização

Mensagem de D. António Moiteiro 
sobre a aula de EMRC


1. Pais, ajudai os vossos filhos!

Ser pessoa é um compromisso e um projeto e daqui nasce a importância de uma educação para a formação da pessoa. Que este projeto se alicerce sobre o amor pessoal de Deus!
Educadores, pais e encarregados de educação são quem ajuda a edificar este projeto. A família é o meio mais eficaz da transmissão de valores, de educação, de humanização e socialização, por isso aos pais cabe o dever de formar e orientar os filhos rumo a uma vida verdadeiramente humana, cristã e feliz; ajudar os filhos a discernir o que mais convém. É necessário estimular, guiar e apoiar, mas também é preciso superar muitas inércias, muitas solicitações, muitas rotinas… A vós, pais, é pedido que estejais atentos à formação e às escolhas dos vossos filhos. Temos de nos alegrar pelos muitos pais que continuam atentos e colaborantes, conscientes do seu dever de primeiros educadores dos seus filhos, cuidando da sua formação humana e cristã. Mas há famílias, mesmo ditas cristãs, que não respiram nem promovem uma educação com uma matriz cultural, incluindo a religiosa; famílias que precisam de se consciencializar e assumir o seu papel no processo educativo, pois esta demissão acaba por se repercutir nos seus filhos.
Neste contexto, e porque a dimensão religiosa é constitutiva da pessoa humana, a aula de EMRC apresenta-se como um excelente complemento à educação recebida em casa e na comunidade paroquial – uma ferramenta de capital importância para o preenchimento de muitos dos espaços vazios deixados pela educação.

Ler toda a mensagem do nosso Bispo aqui 

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Procissão em honra de Nossa Senhora de Fátima

Nossa Senhora de Fátima (foto de Humberto Rocha)
A Paróquia da Gafanha da Nazaré vai organizar a Procissão de Velas em honra de  Nossa Senhora de Fátima, no dia 28 de maio,  com início na Igreja Matriz, às 21 horas. Esta iniciativa integra-se nas celebrações do  centenário das aparições de Nossa Senhora  aos pastorinhos, na Cova Iria, em 1917
Nas Gafanhas, as pessoas têm um especial carinho a Nossa Senhora. Aliás, tanto a Gafanha da Nazaré como a Gafanha da Encarnação ou a Gafanha do Carmo  têm como sua padroeira a Mãe de Deus.
As gentes da Gafanha da Nazaré, quer na atividade ligada ao mar e à ria, quer no amanho da terra, desde os seus antepassados, sempre recorreram a Nossa Senhora nas suas aflições e nas suas alegrias, aconchegando-se sob o seu manto protetor. São estas ricas tradições de religiosidade popular fundada na fé que devemos transmitir aos nossos vindouros para que não percam a dimensão do divino e do sagrado nas suas vidas.
Convido toda a Paróquia para participar com devoção nesta manifestação pública em louvor de Nossa Senhora de Fátima, na certeza de que Ela nos abençoará. 

Padre César Fernandes 

terça-feira, 23 de maio de 2017

Informações Paroquiais

Semana - De 21 a 28 de maio 2017



1. – A Coleta Paroquial é uma das receitas fundamentais para o funcionamento normal da nossa Paróquia. Para isso, está a ser colocado nas caixas do correio de todas as casas, um envelope onde os paroquianos poderão colocar a sua oferta e entregá-lo nos ofertórios das missas ou no Cartório Paroquial. Agradecemos desde já a partilha e generosidade de todos.

2. – Primeiro Encontro de Universidades Seniores da região de Aveiro, organizado pela Universidade Sénior do nosso Centro Social, sexta-feira, dia 26 de Maio, com várias comunicações, a partir das 14:00 Horas no Centro Cultural de Ílhavo. Se alguma pessoa desejar assistir a estas comunicações, deverá deixar o seu nome completo na sacristia, para controle de lugares. Às 21:00 Horas haverá um Sarau Cultural pelas várias Universidades Seniores no auditório da Reitoria da Universidade de Aveiro, com entrada livre. Esta atividade, seguramente, dará grande visibilidade à nossa paróquia e freguesia.

3. – A nossa paróquia vai realizar a Procissão de velas do Centenário das Aparições de Nossa Senhora de Fátima, no próximo Domingo, dia 28 de Maio, com início às 21:00 Horas, junto à Igreja Matriz, e seguirá pelas ruas São Francisco Xavier, Camilo Castelo Branco e Avenida José Estêvão, terminando na Igreja Matriz. Cada pessoa deve levar uma vela na Procissão. Convidam-se a Irmandade, a Associação do Sagrado Coração de Jesus, os Catequistas e Catequizandos, os Escuteiros, os Conselhos e todos os crentes em geral.

domingo, 21 de maio de 2017

Prestar ainda mais atenção


Sei que as forças não são inesgotáveis, bem longe disso, a fraqueza indivisa entre mente-coração-estômago transparece como óbvia. Sei que os campeonatos se perdem quer pelas nossas falhas e desistências, quer sobretudo pela qualidade do adversário. Sei que uma distração pode não querer dizer nada e outra pode significar a diferença entre viver e morrer.
Não saber falar com a propriedade de quem reza, estuda com rigor e competência, na procura das melhores práticas em todos os problemas. Não saber o porquê da maravilhosa insistência da Graça em não nos abandonar no atoleiro do pecado. Não saber que o rumor de Ressurreição está oculto em cada sombra da história sofrida.

Não saber falar com a propriedade de quem reza, estuda com rigor e competência, na procura das melhores práticas em todos os problemas. Não saber o porquê da maravilhosa insistência da Graça em não nos abandonar no atoleiro do pecado. Não saber que o rumor de Ressurreição está oculto em cada sombra da história sofrida.

A abertura a Deus dá credibilidade amor. Acolher, escutar, compreender, perdoar, eleger e viver inspirado no Evangelho. Não colocar limites à Misericórdia. Haverá sempre momentos difíceis, necessitamos sempre de purificação. No fundo, prestar ainda mais atenção ao ser Pessoa entre tempos e espaços divididos. Solidão e comunhão em todas as relações.


Pedro José

Ler mais aqui 

sábado, 20 de maio de 2017

A Pia Batismal da nossa Igreja Matriz

Um símbolo que nos liga 
aos nossos antepassados 



Em entrevista que nos concedeu em 1971, João Fernandes Casqueira, mais conhecido por João Catraio, explicou: «A comissão da construção da igreja coletou os lavradores em 1000 réis por mês (valor de um par de sapatos ou de um leitão, à época), mas nem todos pagavam, como é natural, e alguns só davam o que lhes apetecia; outros não deram nada porque não concordavam que a igreja fosse construída neste lugar. Não viam que este era o local mais central.» E acrescentou: «Agora não se compreende a importância desse facto, mas não nos podemos esquecer que há 60 anos todos os caminhos que davam à igreja eram de areia e água no inverno, o que tornava difícil as deslocações.» 
No auto de revista da capela, em 30 de julho de 1910, necessária para o Bispo de Coimbra (Diocese a que pertencíamos) saber se havia condições para a criação da paróquia, dedicada a Nossa Senhora da Nazaré, «por ser essa a vontade dos novos paroquianos», foi referido que havia vasos sagrados e demais alfaias para o culto, bem como a pia batismal, «que é nova». 
Quando entramos na nossa igreja, olhamos sempre com ternura para a mesma pia batismal, porta de entrada na comunidade dos crentes pelo batismo. É, sem dúvida, um dos maiores símbolos que nos ligam aos nossos antepassados.

Fernando Martins

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Diocese vai começar processo para canonização da Beata Joana



O bispo de Aveiro, D. António Moiteiro, anunciou que a diocese vai instituir um tribunal próprio para dar início à fase diocesana do Processo de Canonização da Beata Joana, princesa, por indicação do Vaticano, lemos na Ecclesia. A mesma agência noticiosa informa que «os responsáveis vão tomar posse no dia da Igreja Diocesana, a 25 de junho, no Santuário de Schoenstatt».

Ler mais aqui

Igrejas bonitas e luminosas...






As igrejas querem-se atraentes e desafiantes, bonitas e luminosas. Atraentes pelas artes que ostentam e desafiantes pela inspiração, no sentido do divino, com que nos brindam. Bonitas pelas decorações que nos despertam, com a ajuda preciosa da natureza, para a beleza interior de cada um de nós, e luminosas, tornando mais nítida a Luz de Cristo, que é Jesus. 
Quando entro numa igreja fria, escura, desconfortável, nua,  tristonha e agreste sinto-me desolado, incomodado. Só me apetece fugir e, cá fora, olhar para o sol e para a natureza, na esperança de reencontrar a vida cheia de luz a que todos aspiramos.
Nas cerimónias, todas elas carregadas de arte, desde os textos sagrados aos cânticos escolhidos, passando pelos paramentos e demais alfaias litúrgicas, há muito que apreciar e admirar. E, por vezes, os arranjos florais enchem-nos as medidas e deixam-nos deslumbrados. E disso damos conta, hoje e aqui, com o nosso aplauso. 

Fernando Martins

Nota: Fotos do Pedro Sacristão

terça-feira, 16 de maio de 2017

Cem mil pessoas foram a Fátima em 1917

«Há em Fátima muito mais 
do que podemos racionalmente compreender», 
afirma o não crente José Manuel Fernandes 


«Aquilo que em Fátima me parece ser realmente diferente é o seu apelo popular», declara o colunista, que questiona como terá sido possível que, «num tempo em que não havia estradas, nem formas de comunicação fáceis, sob um regime que combateu desde o início o fascínio pelas revelações dos pastorinhos e tudo fez para tornar ainda mais difíceis as deslocações, logo em outubro de 1917 umas cem mil pessoas, vindas de todo o país, se juntassem na Cova de Iria».

Ler mais aqui 

domingo, 14 de maio de 2017

Os Fracassos da Corte - Teatro no Seminário de Aveiro

Peça de teatro – «Os Fracassos da Corte»
Seminário de Aveiro
19 e 20 MAIO
21H30



"Os Fracassos da Corte" é uma peça de teatro dedicada a Santa Joana, Padroeira da Cidade e Diocese de Aveiro, que vai ser apresentada no Seminário de Aveiro nos dias 19 e 20 de maio, pelas 21h30. Trata-se de uma organização da Comissão Diocesana da Cultura, Oficina de Teatro "Capitão Grancho" e Município de Aveiro.
A primeira edição, em português, desta peça inédita do século XVII, da autoria de Giovanni Maria Muti, contou com tradução de Júlio Franclim do Couto e Pacheco, biblista e sacerdote da igreja aveirense. A edição é de "Tempo Novo"

sábado, 13 de maio de 2017

Papa Francisco em Fátima


A visita do Papa Francisco a Fátima, fundamentalmente para canonizar Jacinta e Francisco, duas crianças que, com sua prima Lúcia, sempre disseram ter visto e ouvido Nossa Senhora, traduziu-se num acontecimento memorável. Quase me atrevo a dizer que o Papa Francisco caiu bem no coração de todos os homens e mulheres de boa vontade. A mim, crente confesso, deixou-me emocionado em diversos momentos.
O Papa das periferias e da proximidade, da alegria de viver e da simplicidade, do diálogo inter-religioso, do ecumenismo e da aproximação de gentes e nações, de Lampedusa e da fraternidade, mas também de uma Igreja desprendida e aberta a todos, atenta aos pobres e refugiados, aos doentes e presos, sem luxos nem vaidades, dos valores da paz e do amor, da misericórdia e do perdão  esteve entre nós e connosco. Menos de 24 horas, tempo suficiente para nos estimular na caminhada do bem e da misericórdia, como anunciadores da Boa Nova de Jesus Cristo, na senda de Sua Mãe e Sua primeira seguidora.
À homilia da missa de hoje, no Santuário de Fátima, emoldurado por centenas de milhares de peregrinos, o Papa Francisco afirmou que as aparições na Cova da Iria foram um «manto e luz» sobre a humanidade com a sua mensagem de esperança. E acrescentou: «No crer e sentir de muitos peregrinos, se não mesmo de todos, Fátima é sobretudo este manto de Luz que nos cobre, aqui como em qualquer outro lugar da Terra quando nos refugiamos sob a proteção da Virgem Mãe.»
O Santo Padre, o papa do Ano da Misericórdia, mais uma vez frisou uma verdade muitas vezes esquecida, quando lembrou, nesta sua peregrinação ao centenário das aparições de Fátima, que «a misericórdia de Deus perdoa sempre; perdoa tudo».

Fernando Martins

Fonte: 
1. Imagem da Ecclesia 
2. Ler mais em Ecclesia


Informações Paroquiais

De 14 a 21 de maio de 2017


1. – Reunião para o Conselho Pastoral Paroquial, terça-feira às 21:00 Horas, na Biblioteca da Igreja Matriz.

2 – O folar da Páscoa de 2017 da nossa paróquia teve como resultado, dez mil seiscentos e quarenta euros. A todos os que fizeram a sua partilha e que colaboraram na Visita Pascal o nosso muito obrigado.

3. O Grupo de Voluntariado de Ílhavo da Liga Portuguesa Contra o Cancro, informa que a caminhada realizada no passado dia 30 de abril teve um resultado de 6.421,00 euros, que foi entregue à Liga Portuguesa Contra o Cancro. Agradecemos a todos a participação e o contributo por esta causa.

4. – Espetáculo de cantares e tradições da nossa região pelo Grupo Cénico Cantares da Ria de Aveiro, sábado, dia 20 de Maio, às 21:00 Horas, no Auditório Mãe do Redentor, para ajudar a nossa Cáritas Paroquial. À entrada basta entregarmos um bem alimentar não perecível (leite, cereais, massas, arroz, etc). Participemos com a nossa presença.

5. – A Câmara Municipal de Ílhavo, realiza no próximo sábado, dia 20 de Maio, mais uma edição da Feira da Saúde, das 10:00 às 18:00 Horas, na Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré. A feira é aberta a toda a população.

6. – A Filarmónica Gafanhense vai realizar um convívio com “Porco no Espeto”, no dia 21 de Maio, às 12:00 Horas, no Stella Maris.

7. – A Coleta Paroquial é uma das receitas fundamentais para o funcionamento normal da nossa Paróquia. Para isso, está a ser colocado nas caixas do correio de todas as casas, um envelope onde os paroquianos poderão colocar a sua oferta e entrega-lo nos ofertórios das missas, ou no Cartório Paroquial. Agradecemos desde já a partilha e generosidade de todos.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Visitas ao Creoula de 12 a 14 de maio



O NTM Creoula, um navio de treino de mar, de escola de instrução da Marinha Portuguesa, antigo lugre bacalhoeiro, vai estar atracado no Terminal Sul do Porto de Aveiro, na Gafanha da Nazaré, aberto para visitas nos dias 12, 13 e 14 de maio. A visita integra as comemorações do Feriado Municipal de Aveiro (12 de maio).

No dia 13, pelas 16h30 a bordo do Creoula, terá lugar o lançamento do livro editado pela Câmara Municipal de Aveiro, “Aveiro e a Expansão Marítima Portuguesa”, livro das Atas das 8.ªs Jornadas de História Local e Património Documental.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Nova Sede dos Escuteiros da Gafanha da Nazaré

Autarcas visitaram sede dos escuteiros em construção


Prior da Gafanha da Nazaré à conversa com os Autarcas
O 16.º aniversário da elevação da Gafanha da Nazaré a cidade, no dia 19 de abril, ficou marcado pela visita às obras em curso e pelo anúncio das obras que concluem a rede de saneamento (ver notícia ao lado). Na manhã de 19 de abril, após o hastear das bandeiras na Junta de Freguesia, autarcas e jornalistas visitaram as obras dos campos desportivos no Jardim 31 de Agosto e as da nova sede dos escuteiros, antes de prosseguirem para a Casa do Povo e os ajustamentos nos talhos do mercado municipal. O périplo terminou na Casa da Música, em conclusão.
A visita à futura sede dos escuteiros, conduzida pelo P.e César Fernandes, permitiu ver o andamento, então ainda na fase dos alicerces, de uma estrutura que, como explicou o prior, estará ao serviço dos escuteiros e de outras necessidades pastorais da paróquia. A obra é da paróquia, mas Junta e Câmara têm colaborado, nomeadamente com o assumir de taxas, licenças e projetos. Muito informalmente, autarcas e pior falaram da necessidade de a igreja e a sede dos escuteiros terem outra envolvência urbana, mas isso está obviamente dependente da venda de terrenos ou edifícios por parte de particulares.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Festa da Eucaristia na Gafanha da Nazaré

Flores no Ofertório
Pão e vinho no Ofertório
Momento de leitura 

Arranjo floral

Aspeto da entrada

Aspeto da assembleia

O altar
Todos partilhámos a emoção deste Encontro Sagrado

No domingo, 7 de maio, pelas 10 horas, celebrou-se a Festa da Eucaristia, na Igreja Matriz, com a 1.ª comunhão de 76 crianças da nossa comunidade, que entraram no templo cantando, acompanhadas das catequistas. A Eucaristia foi presidida pelo nosso prior, Padre Cesar Fernandes, e a igreja estava repleta de fiéis, predominando os pais e demais familiares das crianças do 3.º ano da catequese.

Somos as crianças de um mundo
que necessita da nossa alegria, 
que necessita de corações abertos
e de um sorriso cheio de vida.

Este cântico foi mote para uma Eucaristia expressiva com um grupo coral afinado, entoando cânticos adequados. E a abrir a cerimónia, a coordenadora do 3.º ano da catequese, Margarida Fernandes, frisou que a caminhada catequética permitiu conhecer melhor Jesus «para melhor O amarmos», garantindo que «preparámos a nossa vida e o nosso coração para O receber com alegria e dignidade». 
As crianças, postadas à volta do altar, com túnicas ou vestidos brancos, concentradas e participantes, mostraram à evidência o cuidado com que foram preparadas para a Festa da Eucaristia. E à homilia, o presidente da assembleia foi claro quando explicou que o Jesus, que todos iriam receber, estava naquele «bocadinho de pão», a hóstia consagrada. «Nós não O podemos ver com os nossos olhos; mas podemos vê-l’O com os olhos do coração, com os olhos da fé», disse.
«Acreditamos que Jesus está no Pão e no Vinho consagrados e que este alimento nos dá energia para fazermos o bem e para cumprirmos os nossos deveres; para em casa sermos bons filhos e na escola bons alunos, mas também para estarmos atentos na catequese e nas Eucaristias», adiantou o nosso prior.
Ao lembrar que neste domingo se encerrava a Semana de Oração pelas Vocações, o Padre César aconselhou os que iriam comungar pela primeira vez, em ambiente festivo, a interrogarem-se sobre o que Jesus lhes pode pedir no futuro. E explicou: «Há o chamamento de Jesus para o casamento, mas também há o chamamento para o sacerdócio (meninos) e para a vida consagrada (meninas). Importa, pois, perguntar a Jesus o que é que Ele quer de nós.» 
Depois da Eucaristia, houve a procissão por algumas ruas da Gafanha da Nazaré. No final, sobressaiu a Bênção do Santíssimo e a consagração a Nossa Senhora, com a entrega das flores, ao som do cântico “Mãe, olha para mim”.
Em conversa com a coordenadora do 3.º ano de catequese, o da 1.ª comunhão, Margarida Fernandes, ficámos a saber que o número de crianças que comungaram, apenas 76, foi o mais reduzido dos últimos 33 anos, segundo se recorda. Estas crianças foram acompanhadas por seis catequistas e quatro auxiliares, tendo havido como metas fundamentais o encontro e a descoberta de Jesus Cristo, após o que os meninos e meninas aprenderam as primeiras orações, o seu significado e a sua origem.
Os catequistas e auxiliares esforçaram-se por levar as crianças a sentirem “fome” de Jesus «que se faz presente no Pão do Céu», estimulando-as «a terem o desejo de conhecer este Deus que nos protege, nos acompanha e nos mostra o caminho do bem». 
Margarida Fernandes garantiu-nos que trabalharam na perspetiva de que «o dia da 1.ª comunhão fosse um dia especial das suas vidas», havendo espaço para festejarmos «todas as mães, assim como a Mãezinha do Céu que nos leva pela mão até Jesus Cristo».
A responsável pela catequese deste ano da 1.ª comunhão sublinhou que todo o trabalho foi desenvolvido «em união com a comunidade, com a colaboração contínua dos pais, catequistas dos vários anos, do grupo coral e do nosso prior». «Todos partilhámos a emoção deste Encontro Sagrado», disse.

Fernando Martins

sábado, 6 de maio de 2017

Festa da Primeira Comunhão — Motivo de reflexão



Amanhã, domingo, celebra-se a Festa da Primeira Comunhão. A Eucaristia será na Igreja Matriz às 10 Horas, seguindo-se a procissão em honra do Santíssimo Sacramento que terá início na Igreja Matriz e seguirá pelas ruas: Gago Coutinho, Castilho, Sacadura Cabral, Gil Eanes e Avenida José Estêvão. Pedimos às pessoas por onde passa a procissão que enfeitem as ruas e mantenham um ambiente de silêncio e respeito. Não haverá Eucaristia das 11h15, na Igreja Matriz.

Esta notícia, registada neste blogue há dias, merece uma curta reflexão, pelo significado de que se reveste. Apenas 76 crianças vão receber a primeira comunhão, depois de terem sido catequizadas no sentido da descoberta de Jesus Cristo e da sua Boa Nova.
Margarida Fernandes, coordenadora do 3.º ano de Catequese, adianta que, segundo se recorda, este número de crianças terá sido o mais baixo desde há 33 anos até hoje. Isto significa que a nossa sociedade, com o rótulo de cristã, estará a perder interesse pela catequese? Não reconhecerá a importância da educação integral das crianças, no sentido de assumirem os valores fundamentais da nossa civilização de matriz cristã? São interrogações que deixamos à consideração dos pais.
Que esta Festa da Comunhão possa despertar nas famílias o gosto pelos caminhos abertos pela mensagem que Jesus Cristo nos legou há mais de dois mil anos. São os nossos votos.

Fernando Martins

terça-feira, 2 de maio de 2017

FESTA DA PRIMEIRA COMUNHÃO

Igreja Matriz
7 de maio
10 horas 


A nossa paróquia da Gafanha da Nazaré, com o empenho e dedicação do sacerdote e dos catequistas, está nos preparativos para a primeira comunhão das crianças a realizar na nossa Igreja matriz no dia 7 de maio.
Na Eucaristia das 10 horas, as crianças irão receber, pela primeira vez, no seu coração o “amigo escondido” sob a espécie do Pão Eucarístico. Nesta idade, as crianças são de uma ternura infinita e, com o seu ar angelical, acreditam piamente que o Jesus por eles comungado irá inundar o seu coração de amor, força e valentia para fazerem o bem, amarem os seus pais e demais familiares, professores, catequistas, colegas de escola e amigos, mesmo aqueles de quem não gostam tanto.
Terminada a Eucaristia, na procissão Eucarística, com a alegria de levarmos Jesus no coração, também Lhe faremos companhia, Ele que irá na Sagrada Custódia, pelas ruas da nossa cidade, para que todos Lhe rezem e O louvem com muita dignidade e respeito.
Solicito a todos os pais que ajudem o sacerdote e os catequistas a criarem esta envolvência de amor e ternura nas nossas crianças nesta solenidade de tão grande significado para elas. Que, de igual modo, acompanheis os vossos filhos, ao longo de todos os domingos, participando com eles na Eucaristia para que continuem a fazer este encontro pessoal com Jesus que quer estar sempre no seu coração.

Padre César Fernandes

segunda-feira, 1 de maio de 2017

A sopa de feijão de David Bola

David Bola 
Para memória futura 


Ingredientes:

Feijão vermelho cozido – 1 lata
Batatas – 3 unidades
Cenouras – 2 unidades
Couve – 1 unidade
Nabo – 1 unidade
Cebola – 1 unidade
Azeite – qb
Chouriço – 1 unidade
Sal – 1 colher de chá

Preparação:

Numa panela com água, colocar o chouriço e o feijão a cozer cerca de 35 minutos, temperados com sal. Depois do feijão cozido, retirar o chouriço e guardar metade do feijão. Numa outra panela, leve ao lume a cebola,  o azeite e deixar refogar. Juntar ao feijão o refogado e as batatas (na água da cozedura anterior), deixar cozer 25 minutos e triturar com a varinha mágica. De seguida, adicionar a couve cortada em juliana e a cenoura cortada às rodelas. Após estarem cozidas, juntar o restante feijão e o chouriço. Deixar cozer durante 10 minutos.

Diz o senhor David: «cada um faz ao seu gosto, dá para pôr uma massinha, há quem goste mais com arroz (…) é como cada um quer.» E acrescenta: «Fica boa. Depois…não se quer outra coisa.»

Nota: Esta receita veio publicada no livro "MasterChefSénior - Uma Viagem no Tempo". a autoria de Joana Soares Barbosa, com edição do Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Nazaré.  

sábado, 29 de abril de 2017

Freitas do Amaral falou na Gafanha da Nazaré

Somos o país europeu 
com as fronteiras definidas 
há mais tempo




«Estou convencido que a entrega pura e simples de Olivença a Portugal não vai acontecer, mas se tivermos habilidade e engenho nós poderemos conseguir, a exemplo de outras situações, aquilo que se chama um condomínio internacional, isto é, um condomínio entre Portugal e Espanha», afirmou Freitas do Amaral na conferência que proferiu na quinta feira, 27 de abril, no salão anexo à igreja matriz da Gafanha da Nazaré. A iniciativa partiu da Universidade Sénior do Centro Social Paroquial Nossa da Nazaré, com coordenação de Disciplina História e Comunicação.
Freitas do Amaral, conhecido político e catedrático de áreas ligadas ao Direito, apresentou um relance sobre a História de Portugal, partindo das fronteiras terrestres que nos separam do país vizinho, que saíram do tratado de Alcanizes, celebrado entre Portugal e Castela, em 1297, sendo rei D. Dinis. E sublinhou que «somos o país europeu com as fronteiras definidas há mais tempo». 
Recuando séculos, o orador frisou que já os romanos haviam registado fronteiras semelhantes, com base em critérios naturais, designadamente rios e outros acidentes geográficos.

Ler mais aqui 

O Búzio

Uma história para este fim de semana 


«Tão pobrezinha [a primeira capela] que estava desprovida de torre, ou simples campanário, e de sinos.
Sem campanário, sem sinos… Como remediar a falta? Como convocar os fiéis para a santa Missa, para o exercício do culto divino?
Tem o seu quê de regional e de poético a maneira como remediaram a falta e como convocavam os fiéis ao templo. No dealbar do dia, ou à tarde ao mergulhar suave e majestoso do sol nas águas do Oceano, conforme a convocação se fizesse para o Santo Sacrifício ou para as orações da manhã ou da noite, um repolhudo gafanhão, improvisado de sacrista, dirigia-se para o templozinho cheio de misticismo, descalço, de cuecas a cair sobre a rótula, cingidas pelo cós com um só botão às ancas espadaúdas. De barrete pendente sobre as orelhas, contas ao pescoço sobre a baeta da camisola, e de gabão velho, esburacado, deixava fustigar pelo vento da madrugada as canelas magras e nuas.
Este bom e anafado gafanhão, ia eu dizendo, assim descrito, tal qual era na primitiva Gafanha, soprava desesperadamente num enorme búzio, cujos sons cavos, profundos e compassados, iam quebrar-se de encontro às cordilheiras solitárias e silenciosas das dunas, ou espraiar-se pela argentínea superfície do oceano infindo.
E daquele rosto, congestionado e entumecido pelo esforço pulmonar, emergiam uns olhos a saltar das órbitas, a completar um quadro que bem lembrava Neptuno, na solidão das águas, a tirar da enroscada concha vozes cavernosas, a fazer sair dos abismos e das ondas toda a caterva de malignos tritões, a chamar os deuses marinhos para o diabólico conciliábulo de algumas desgraças, ou de alguma tragédia marítima.»

João Vieira Rezende,
in Monografia da Gafanha

Faleceu o Padre Carreira das Neves


Faleceu ontem, 28 de abril, o Padre Carreira das Neves, biblista muito apreciado pela forma simples como explicava a Bíblia, tanto a eruditos como a leigos. Tive algumas vezes a felicidade de o ouvir, apreciando muito as últimas novidades que ele anunciava e havia estudado em congressos e encontros sobre o Livro Sagrado, no país e no estrangeiro, nomeadamente em Jerusalém, 
Consultando a Agência Ecclesia, tive a oportunidade de ler o que disse o Padre José Tolentino Mendonça, vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa, a propósito do falecimento do biblista Joaquim Carreira das Neves, sobretudo quando garantiu que ele foi o que “mais e melhor falou da Bíblia”, sendo ainda “capaz de aprender com todos e ensinar a todos”.

Ler mais aqui 

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Informações Paroquiais de 30 de abril a 7 de maio de 2017



1 – Amanhã (Hoje) reunião do Apostolado da Oração, às 15:00 Horas, na Biblioteca da Igreja Matriz.


2 – Segunda-feira, dia 01 de Maio é feriado nacional. Não haverá missa às 19:00 Horas, na Igreja Matriz.


3 – Todas as crianças que vão fazer a Primeira Comunhão terão ensaio geral de preparação, Terça e Sexta-feira, às 19:30, na Igreja Matriz.


 4 – Exposição do Santíssimo Sacramento, quinta-feira na Igreja Matriz, com início às 18:00 Horas, bênção e encerramento às 18:45.



5 – Reunião de preparação para os Batismos, sexta-feira, às 21:00 Horas, no Auditório Priores da Gafanha da Nazaré.


6 – No próximo Domingo celebra-se a Festa da Primeira Comunhão. A Eucaristia será na Igreja Matriz às 10:00 Horas, seguindo-se a Procissão em honra do Santíssimo Sacramento que terá início na Igreja Matriz e seguirá pelas ruas: Gago Coutinho, Castilho, Sacadura Cabral, Gil Eanes e Avenida José Estêvão. Pedimos às pessoas por onde passa a Procissão que enfeitem as ruas e mantenham um ambiente de silêncio e respeito. Não haverá Eucaristia das 11:15, na Igreja Matriz.



7 – De 30 de Abril a 07 de Maio será a semana de oração pelas vocações. Nas nossas orações, somos convidados a ter presente esta intenção de toda a Igreja. A encerrar esta semana, haverá uma vigília de oração pelas vocações para todo o Arciprestado, no sábado, dia 06 de Maio, às 21:30, na Igreja da Costa Nova.


8 – Ao preencher o IRS podemos assinalar no campo de “Instituições Particulares de Solidariedade Social ou Pessoas Coletivas de Utilidade Pública”, relativo à consignação de 0,5% do IRS e completar o formulário com o NIF 501 789 804, do Centro Social Paroquial Nossa Senhora da Nazaré. Agradecemos a todos o contributo solidário.